Para cada riso, uma intenção
Skip Ribbon Commands
Skip to main content


Para cada riso, uma intenção

Rir sozinho, dos outros ou com os outros. Os vários tipos de riso se manifestam em diferentes contextos e intenções nem sempre perceptíveis. Sendo um importante instrumento de comunicação e expressão, ao descobrir sua variáveis, passamos a compreender um pouco mais sobre os outros e até nós mesmos. "Quando entendemos melhor a linguagem corporal, aprendemos a agir ou reagir de maneira mais consciente em uma relação", explica o psicólogo Jorge Eloi, mestre em Psicologia da Educação pela Universidade de Évora, em Portugal. Confira a seguir, os tipos mais comuns e curiosos selecionados pelo psicólogo:

1) DE ANSIEDADE
Quem já não sentiu aquela tensão e insegurança mediante uma situação desconhecida? Essa sensação difusa, chamada ansiedade, pode surgir em situações reais ou imaginárias. O riso, em ambos os contextos, aparece como uma forma de relaxamento encontrada pelo cérebro, antes de tomar uma decisão. Ou seja, é uma espécie de calmante, um mecanismo de defesa que visa a tranquilizar o corpo. Durante a reação ocorrem movimentos com os olhos e gesticulação do corpo. O riso chega de forma involuntária, intenso e contínuo, sendo que não termina enquanto o corpo e a mente não se sentem seguros.

2) DE FALSIDADE
Sendo um comportamento racional e consciente, a falsidade revela muito sobre como está a coerência entre pensamentos e ações. Ela ocorre quando queremos mostrar aos outros uma pessoa que não somos,  uma opinião diferente da que temos ou uma atitude contraditória, só para citar alguns exemplos. Geralmente, o riso vem em forma de aprovação, na qual a pessoa não concorda com determinado ponto, mas aceita por saber que poderá ganhar algo em troca. Nesse caso, o sorriso mobiliza poucos músculos da face e é mais fácil de representar.

3) DE ZOMBARIA
Outra risada consciente e muito bem planejada é a da zombaria. Ela busca     demonstrar certa superioridade perante o outro e se manifesta na forma de poder e autoafirmação. Esse tipo de riso também visa a provocar angústia no outro e só terá fim quando o objetivo de provocar a inferioridade ou humilhação no alvo desejado for alcançado.

4) DE FELICIDADE
Este tipo de riso brota de forma inconsciente, sincera e profunda. É mais contido, sereno e brota de maneira involuntária. Ele movimenta não só os músculos ao redor da boca, como também dos olhos. Muitas vezes é acompanhado de lágrimas.

5) DE PRAZER
Pode vir a qualquer momento, seja numa piada, numa relação íntima, ao receber um presente ou conquistar um prêmio. Este prazer nada mais é que a realização de um desejo que nos leva a um estado de bem-estar mental momentâneo. Não exige uma harmonia com o todo para se manifestar de forma pura e sincera. É curto, involuntário, intenso e totalmente perceptível aos outros e, possivelmente, o  que movimenta mais os músculos da face.

6) RISO DA TRISTEZA
Pode ser considerado amenizador de angústias ou mágoas. Sendo a tristeza um estado mental de sofrimento, este riso surge numa tentativa de compensar um sentimento doloroso  por meio de uma expressão de alegria. Serve como um ponto de equilíbrio, uma forma de atenuar o clima na tentativa de superar determinado infortúnio. Portanto, é um sorriso consciente e pensado. Em alguns momentos, tem características similares ao da falsidade, uma vez que tenta demonstrar uma expressão que não condiz com o sentimento daquele instante. Movimentar os músculos da face nesses momentos é extremamente difícil, por isso, ele é de fácil percepção.
VOLTAR